Telerradiologia: a experiência de um radiologista que trabalha em home office há 6 anos

WhatsApp Image 2020-06-19 at 18.08.11_Easy-Resize.com

Conheça Dr. Vitor Frauches Souza, entenda como é o trabalho de um radiologista que trabalha em casa e saiba o que mudou na telerradiologia com o coronavírus.

Com a pandemia do novo coronavírus, a situação de trabalho de muitos radiologistas mudou em 2020. Muitos assumiram novos modelos de trabalho, as cargas de trabalho mudaram repentinamente e, o que talvez seja mais aparente, é que muitos agora precisam realizar seu trabalho diário em casa.

Mas a telerradiologia não é novidade e vem sendo praticada há anos por muitos médicos radiologistas do mundo todo. Entrevistamos Dr. Vitor Frauches Souza, radiologista experiente que já trabalha na modalidade há 6 anos, presta serviço para mais de 10 hospitais e clínicas e atende as regiões do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Ele contou como é sua rotina de trabalho, o que mudou pós COVID-19 e sua relação com a Medcloud trabalhando para o CETHID, Centro Especializado no Tratamento de Hipertensão e Diabetes da Secretaria de Saúde em Queimados – RJ.

Como radiologista, você está envolvido de alguma forma nos diagnósticos COVID-19? Houve alterações nas cargas de trabalho e os tipos de exames?

Dr. Vitor: Estou bastante envolvido, pois trabalho para um hospital que é referência no tratamento da COVID-19 no Espírito Santo. Além disso, trabalho para hospitais públicos e privados do Rio de Janeiro que estão recebendo muitos pacientes com diagnóstico de COVID-19.

A minha carga horária e forma de trabalho não sofreram alterações significativas com o início da pandemia, pois há anos já trabalho em home office. O que sofreu alteração foram os exames solicitados. A maior parte dos exames eletivos diminuiu bastante, como as Angiotomografias e Tomografias Cardíacas, que são minhas especialidades. Em contrapartida, os exames gerais, como crânio, tórax e abdome aumentaram justamente por conta do diagnóstico do vírus.

E como é o seu local de trabalho em casa?

Eu possuo um escritório equipado com uma mesa de trabalho com monitor de 29 polegadas de alta definição, notebook e internet com link dedicado.

Que prós e contras que você vê em relação ao trabalho em casa?

Acredito que os prós são inúmeros. Para o médico em si tem o fato de perder menos tempo no trânsito, por exemplo, o que propicia mais tempo perto da família. Para os serviços médicos, principalmente, o fato de hospitais e clínicas localizados em regiões com pouca oferta de mão de obra qualificada poderem contar com uma equipe de médicos radiologistas de qualidade.

O ponto que pode ser negativo para a profissão é a desnecessidade do médico radiologista in loco, reduzindo assim, oferta de emprego em grandes centros, por exemplo, uma vez que um mesmo médico consegue laudar para mais de um hospital concomitantemente. O outro ponto negativo que consigo enxergar passível de ocorrer é a redução das discussões dos casos clínicos entre a equipe médica, uma vez que o fato de o radiologista não estar presente pode dificultar a comunicação. Para evitar a ocorrência dessa problemática deixo meu telefone sempre disponível para que toda a equipe possa entrar em contato a qualquer momento durante o plantão.

Como você se comunica com seus colegas quando trabalha em casa?

Depende da política de cada hospital. Mas, em regra, o técnico de radiologia entra em contato comigo ao inserir o exame no sistema. Com o Medcloud, assim que um exame é lançado com a história clínica, além do contato do técnico, o próprio sistema me envia um e-mail comunicando o novo exame. Além disso, como já disse, meu contato telefônico fica à disposição da equipe médica dos hospitais que eu trabalho. Isso é uma das coisas que eu primo no serviço que presto para esses hospitais: é estar sempre em contato com os médicos que solicitam os exames para que possam tirar quaisquer dúvidas. Eu gosto de tornar o trabalho mais próximo, pois certamente facilita a discussão dos casos clínicos o que culmina na melhora da qualidade do laudo e, consequentemente, do diagnóstico do paciente.

Como a solução da Medcloud aprimorou/possibilitou seu trabalho de qualidade em casa?

Hoje eu uso o Medcloud em dois hospitais dos quais eu trabalho. Com isso consigo perceber mais facilmente suas vantagens. Um ponto muito positivo é que o sistema me permite tanto baixar as imagens no meu programa de visualização, quanto utilizar o próprio visualizador web. Além disso, o sistema é extremamente simples, rápido e fácil de manusear, ao mesmo tempo em que é resolutivo. Ele não trava e o caminho até a liberação do exame é descomplicado, demandando poucos cliques.

Alguma observação final ou conselho para outros radiologistas que pensam em trabalhar em home office?

Primeiramente é necessário se estruturar com uma boa estação de trabalho e criar uma rotina. Tem que se organizar, ter um local adequado e uma rotina como estivesse trabalhando efetivamente dentro de uma clínica ou de um hospital. Tem que haver concentração, não pode ter distração, pois você não está em casa a toa, por lazer, está trabalhando e é um trabalho sério. Momento de trabalhar é para trabalhar. Mas recomendo! É muito agradável estar no conforto de casa e ainda poder, entre um laudo e outro, estar ali com a família. Isso não tem preço.

Novidades no seu e-mail

Fields marked with an * are required

Mais posts do blog

ver todos