Coronavirus

Estudo aponta que ressonância magnética é alternativa viável para diagnóstico de COVID-19

Pinterest LinkedIn Tumblr

Os resultados do estudo oferecem aos médicos que lidam com a COVID-19 uma alternativa útil quando se trata de acompanhamento diagnóstico.

A TC de tórax tem sido amplamente usada para diagnosticar a COVID-19, mas a ressonância magnética oferece uma alternativa atraente que não requer radiação, de acordo com um estudo publicado em agosto na Academic Radiology.

“Como não há risco de radiação, a ressonância magnética permite que vários exames sejam realizados nos mesmos pacientes e pode fornecer informações adicionais à TC durante o acompanhamento do paciente”, escreveu a equipe de pesquisada liderada pelo Dr. Omer Faruk Ates da Universidade Sakarya, na Turquia.

Condução do estudo

O teste de reação em cadeia da polimerase de transcrição reversa em tempo real (RT-PCR) é considerado o padrão ouro para o diagnóstico de COVID-19, mas a imagem também é importante para avaliar a extensão da doença, observou o grupo.

Como a TC confere radiação, a ressonância magnética oferece uma boa alternativa, principalmente porque novas técnicas (como a sequência de hélice spin-eco ponderada em T2) melhoram o desempenho da modalidade no pulmão.

O estudo incluiu 32 pacientes com COVID-19 que foram submetidos a TC torácica e ressonância magnética para acompanhamento em 24 horas da TC original. O grupo rastreou o número de lobos pulmonares afetados, o número de lobos que manifestaram opacidades em vidro fosco e consolidação, o número de nódulos, a distribuição das lesões e a presença de derrame pleural.

Dos pacientes, 96,9% apresentaram sinais de pneumonia na TC, sendo o achado mais comum as opacidades em vidro fosco (90,6%), seguidas de consolidação (43,8%). Esses dois achados de TC também foram observados na ressonância magnética, observou o grupo.

Ates e colegas descobriram que a sensibilidade da ressonância magnética para detectar nódulos pulmonares foi de 91,7% e sua especificidade foi de 100%.

“O resultado mais importante de nosso estudo é a sobreposição quase completa dos achados de TC e RM [em pacientes com COVID-19]”, observou o grupo.

No geral, o estudo aponta para a ressonância magnética como uma opção útil para o acompanhamento diagnóstico do COVID-19, de acordo com os pesquisadores.

“Embora a TC de tórax seja amplamente utilizada na imagem da infecção por COVID-19, consideramos que a ressonância magnética pode ser usada como uma alternativa devido às suas várias vantagens”, concluíram. “Especialmente, a ressonância magnética é importante para avaliar a patologia pulmonar ao longo do tempo, à medida que se aprende mais sobre COVID e o impacto de longo prazo na saúde.”

Comentários