Recomendações do ACR para radiologistas em meio a pandemia da COVID-19

24jan2020---medicos-atendem-paciente-infectado-pelo-coronavirus-no-hospital-zhongnan-em-wuhan-na-china-1579873081507_v2_1920x1280

American College of Radiology divulga orientações e boas práticas para radiografia de tórax e tomografia computadorizada relacionadas ao novo coronavírus.

O American College of Radiology (ACR) divulgou sua primeira orientação oficial para radiologistas que enfrentam a pandemia de COVID-19. Seus conselhos descrevem as evidências radiológicas que cercam o vírus, e também como os radiologistas e suas instalações podem usar melhor a imagem em casos potenciais.

Os sintomas do COVID-19 não são específicos e podem ser facilmente confundidos com outras infecções, como gripe, H1N1, SARS e MERS. De acordo com os órgãos de saúde, mesmo que uma tomografia computadorizada ou radiografia do tórax sugira COVID-19, o teste viral é o único método específico para o diagnóstico.

Com base em suas pesquisas, o ACR fez essas quatro recomendações:

A TC não deve ser usada para rastrear ou como um teste de primeira linha para diagnosticar o COVID-19.
Deve ser usada com moderação e reservada para pacientes hospitalizados e sintomáticos com indicações clínicas específicas para a TC.

As instalações podem considerar a implantação de unidades de radiografia portáteis em instalações de atendimento ambulatorial para uso quando as radiografias de tórax são consideradas clinicamente necessárias. As superfícies dessas máquinas podem ser facilmente limpas, evitando a necessidade de levar os pacientes para as salas de radiografia.

Os radiologistas devem se familiarizar com a aparência da infecção por COVID-19 por TC, a fim de poder identificar achados consistentes com a infecção em pacientes fotografados por outros motivos.

Boas Práticas

Além disso, o ACR recomendou a implementação de boas medidas de controle de infecções para conter a disseminação viral o máximo possível.

Qualquer conjunto de imagens – e todas as superfícies – usadas para escanear um paciente com suspeita de infecção por COVID-19 deve ser ambientalmente limpo e descontaminado por alguém que esteja usando equipamento de proteção adequado.

O fluxo de ar em salas fixas de raios-X ou tomografia computadorizada também deve ser considerado antes da chegada do próximo paciente. Considere as taxas de troca de ar, entendendo que os quartos podem precisar ser completamente evitados por aproximadamente uma hora após a geração de imagens de pacientes infectados.

No geral, o ACR enfatizou que o conhecimento sobre o COVID-19 está constantemente emergindo e incitou os fornecedores a lembrar que as fontes de informações on-line estão sendo constantemente atualizadas.

Novidades no seu e-mail

Fields marked with an * are required

Mais posts do blog

ver todos