Mais de 41 milhões de prontuários foram roubados em 2019

empresario-usando-candado-digital-proteccion-datos_117023-174

Só nos EUA, mais de 40 milhões de prontuários médicos foram violados em 2019. Serviços em nuvem, como o da Medcloud contribuem para reduzir esse número.

Mais de 41 milhões de registros de pacientes foram violados em 2019 nos Estados Unidos, com um único incidente de hackers afetando quase 21 milhões de registros.

As violações de dados de saúde em 2019 quase triplicaram as do ano anterior, quando 15 milhões de registros de pacientes foram afetados por incidentes de violação, de acordo com um relatório da Protenus e DataBreaches.net.

A Protenus, uma empresa de análise de conformidade com serviços de saúde, analisou incidentes de violação de dados divulgados ao Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA ou à mídia do país durante 2019.

E o mais alarmante: continua a haver pelo menos uma violação de dados de saúde por dia relatada pela Protenus em 2016.

Tendências de cibersegurança encontradas pela Protenus:

1. Surto de incidentes de hackers
Parece que os incidentes de hackers, particularmente os de ransomware, estão aumentando. E uma tendência preocupante: os hackers estão ficando mais criativos na maneira como exploram as organizações de saúde e os pacientes.

Em 2019, houve incidentes de hackers tentando extorquir dinheiro de pacientes cujos registros foram expostos, não apenas da organização de saúde afetada. Em um incidente na Flórida, os hackers enviaram pedidos de resgate a vários pacientes afetados.

2. Os funcionários representam um grande risco à segurança
Os funcionários das organizações de saúde foram responsáveis por violar 3,8 milhões de registros de pacientes em 2019, contra 2,8 milhões de registros em 2018.

O relatório caracterizou incidentes internos como erro humano ou delito interno, que inclui casos em que os funcionários pareciam ter violado conscientemente a lei.

Os ataques de phishing também continuam afetando os serviços de saúde. A educação e o treinamento dos funcionários do hospital para detectar e não ser vítima de tais ataques são imperativos para se antecipar aos incidentes de hackers, segundo o relatório.

Como funciona a segurança na nuvem?

Criptografia:
Através da criptografia, as invasões e roubos de informação ficam muito mais difíceis de acontecer. Essa técnica codifica e impede a visualização dos dados por quem não é autorizado.

Controle de acesso:
Para acessar seu material, você precisa fornecer login e senha em uma página da internet. Sendo assim, você pode restringir quem tem acesso a cada informação dentro de sua empresa.

Monitoramento:
Como você contratou uma empresa especializada nisso, seus dados estão sob constante monitoramento de uma equipe especializada.

Eliminação de riscos de danos mecânicos:
Máquinas podem se danificar ou até mesmo quebrar. Quando seus dados estão salvos na nuvem, você elimina a possibilidade de perder o material num eventual problema com o dispositivo.

Back Up:
Mesmo que todas essas medidas falhem e os dados sejam perdidos, com a cloud computing as informações são mantidas em vários locais.

Contrato de Segurança:
Quando uma prestadora desse serviço é contratada, ela especifica em contrato que seus dados ficarão armazenados de forma segura e te dão uma garantia disso.

Novidades no seu e-mail

Fields marked with an * are required

Mais posts do blog

ver todos