Pandemia faz número de exames de imagem realizados em 2020 cair

unnamed (2)

A pandemia de COVID-19 está fazendo com o número de exames de imagem realizados em 2020 seja reduzido. O que fazer para minimizar esse impacto?

Em um novo estudo publicado esta semana no Journal of American College of Radiology , os investigadores examinaram dados de imagem de nove práticas comunitárias nos EUA.

O que eles descobriram é um impacto paralisante da pandemia do novo coronavírus nos fornecedores – as unidades de valor relativo do trabalho (RVUs) caíram aproximadamente 52%, passando de um zênite 120.000 em fevereiro para 55.000 em abril.

Embora essa análise revele um quadro atualmente sombrio, os fornecedores também podem tornar as descobertas acionáveis, usando-as para criar estratégias de recuperação, à medida que a indústria continua enfrentando a pandemia.

“Nossas descobertas apóiam dados anedóticos amplamente divulgados, bem como os primeiros relatórios publicados sobre quedas maciças nos volumes e receitas de imagens que levaram a uma grande preocupação nas práticas de radiologia”, escreveu o principal autor do estudo Dr. Richard Duszak, professor e vice-presidente de políticas e práticas de saúde no departamento de radiologia e ciências da imagem da Universidade de Emory.

Impactos da pandemia

Para determinar o impacto nas práticas da comunidade, a equipe de Duszak avaliou os metadados de imagem coletados entre janeiro de 2019 e maio de 2020, analisando as tendências de volume por modalidade, local de serviço e região do corpo.

De acordo com os resultados, as imagens ambulatoriais caíram 66% entre fevereiro e abril deste ano. Quando examinados como uma porcentagem do total de RVUs de trabalho para todas as práticas, a TC e a radiografia foram as que mais atingiram, caindo 31% e 30%, respectivamente.

Além disso, a imagem abdominal caiu 25% e a imagem mamária 19%, ambas com as quedas mais significativas.
Mais significativamente, a equipe apontou, a mamografia caiu mais nos diferentes grupos de regiões-modalidade. Essa linha de serviço teve uma queda de 92%.

Consequências

Juntamente com essas mudanças no volume de imagens, a equipe também identificou alguns efeitos e que poderiam afetar a radiologia: a pandemia continua e pode piorar.

Por exemplo, segundo os autores, se as receitas continuarem em trajetória descendente, a especialidade pode se tornar menos atraente para os estudantes de medicina que desejam escolher sua carreira ou pressionar alguns radiologistas que estão perto da idade da aposentadoria para puxar o gatilho mais cedo, deixando práticas e departamentos sem liderança sênior.

De acordo com os pesquisadores, essa análise poderia auxiliar na tomada de decisões em torno da mão de obra do radiologista, cobertura clínica e planejamento financeiro à medida que a pandemia persiste.

Ferramentas adequadas

Como afirmam os autores do estudo, ter acesso aos números de exames é extremamente importante para as tomadas de decisão nas institições de saúde.

Com o PACS da Medcloud, é possível acessar um painel de controle gerencial, o que promove benefícios reais para centros de imagem, tendo em vista as ferramentas de controle disponíveis para radiologistas.

Com elas, o radiologista pode acessar informações relevantes como número de exames pendentes de análise, tempo médio de retorno e frequência na liberação de laudos.

Para tal, o Medcloud dispõe de ferramentas como Controle de Pendências no Estudo, que indica possíveis faltas de partes integrantes de um exame; Controle de Criticidade, que verifica quais exames são emergenciais e o tempo de retorno de cada um; Contagem Regressiva para o Laudo; Estatísticas Gerais, que mostra a quantidade de laudos assinados, laudos liberadose laudos pendentes e as Estatísticas Avançadas, que permite ter controle sobre todas as informações referentes a determinado exame.

Mais posts do blog

ver todos