Empresa irlandesa cria robô que utiliza raios UV para desinfecção de coronavírus

MzYyMTU3MA

Construído em cerca de apenas 24 horas, o robô está passando por testes hospitalares para desinfecção de ambientes contaminados com o coronavírus.

De acordo com reportagem publicada no Spectrum, um professor assistente de engenharia mecânica no Trinity College em Dublin e líder do Laboratório de Robótica e Inovação, Conor McGuinn, reuniu uma equipe de engenheiros de hardware e software para criar um robô de desinfecção que utiliza raios UV.

A desinfecção por UV é uma das poucas áreas em que robôs autônomos podem ser ter impacto imediato durante a pandemia de COVID 19.

Criação e aplicação do robô

Durante o ano passado, a equipe de McGinn formou uma empresa chamada Akara Robotics para lançar o Stevie, um robô social móvel para instalações de atendimento a idosos. “Havia muito interesse em nós, e estamos progredindo, e então a COVID surgiu e tivemos que nos reorientar”, afirma o pesquisador.

McGinn então entrou em contato com algumas pessoas do serviço nacional de saúde da Irlanda, o HSE, para discutir como os robôs podem ser úteis e, a partir de várias idéias que incluíam telepresença e entrega, um robô desinfetante UV era o que realmente interessava.

A equipe da Akara pegou todas as pesquisas de desinfecção por UV em que haviam trabalhado e combinou com outro software de autonomia que eles desenvolveram para Stevie.

Em vez de tentar alterar os fluxos de trabalho de descontaminação existentes na maior parte do hospital, a Akara está focando em áreas onde diferentes procedimentos de controle de infecções significam que há uma oportunidade de entrar e tornar processos mais seguros.

Os pesquisadores descobriram que departamentos de radiologia são os melhores lugares para o robô trabalhar agora.

Primeiro, as salas de radiologia tendem a ser pequenas, organizadas e sem janelas, o que facilita a navegação do robô.

Segundo, como as máquinas de imagem são caras, muitas vezes são limpas pelos radiologistas, o que não apenas leva tempo que os especialistas poderiam estar usando para ajudar os pacientes, mas também coloca os próprios especialistas em risco.

E, finalmente, como as máquinas precisam de limpeza após cada paciente com COVID, os métodos tradicionais de limpeza reduzem a capacidade diária da máquina em um fator de cinco ou seis.

Como funciona

Ao contrário de outros robôs de desinfecção UV conhecidos, a Violet usa uma única luz UV que precisa apontar diretamente para as coisas que deseja desinfetar. Felizmente, o coronavírus é relativamente vulnerável a esse método, e a luz é eficaz e segura para os seres humanos.

Parte do objetivo dos testes que a Akara está fazendo no momento é confirmar que o sistema UV da Violet realmente desinfecta como deveria – e os testes até agora demonstraram que funcionam, além de estabelecer procedimentos operacionais seguros para seus usuários.

McGinn conta que a Akara tem clientes muito interessados ​​na Violet, tanto para coronavírus a curto e médio prazo quanto para desinfecção geral em longo prazo.
Confira o documento na íntegra.

Mais posts do blog

ver todos