Comunicação, o procedimento médico mais comum

6-12-Remorse-Promotional-Photos-house-md-9899188-1950-1295

200.000 interações. Esse é o número estimado de comunicações entre um profissional de saúde e pacientes durante uma carreira médica.

Segundo Toby Cosgrove, CEO e Presidente da Cleveland Clinic, cada interação é uma oportunidade de compartilhar informações, motivar comportamentos e construir um relacionamento.

É de conhecimento que a comunicação entre médicos e pacientes focado na construção de uma relação autêntica com o paciente tem benefícios terapêuticos significativos, contudo, tal estratégia nem sempre é utilizada.

Ainda segundo Cosgrove, a comunicação é raramente ensinado na escola médica. A maioria dos médicos desenvolvem estratégias de comunicação através de tentativa e erro. Considere, por exemplo, a importância de ouvir. A pesquisa mostra que os médicos irão perguntar a um paciente uma pergunta, e depois interromper a resposta depois de apenas 18 a 23 segundos.

Em geral, estima-se que médicos devem começar uma consulta médica com uma pergunta aberta.
Eles precisam continuamente se manterem perguntando: “O que mais?” Até que todas as preocupações do paciente estejam abordadas.

Alguns médicos temem que se os pacientes estiverem autorizados a falar livremente, eles irão levar muito tempo para expor suas informações, mas de acordo com um estudo, os pacientes que não são interrompidos normalmente terminam o que eles têm a dizer em cerca de 90 segundos.

Por fim, empatia é uma outra parte crítica da comunicação. A maioria dos médicos sentem empatia por seus pacientes, mas poucos sabem como demonstrar isso. A empatia pode ser comunicada por palavras ou gestos. Verbalmente, Cosgrove acredita que os profissionais de saúde devem deixar seus pacientes saberem que estão recebendo apoio nas dificuldades que eles estão passando, fortalecendo o relacionamento e a experiência do paciente.

Meios digitais potencializam o compartilhamento e a acessibilidade das informações, favorecendo o relacionamento médico x paciente, além disso podem auxiliar na elaboração de uma estratégia de relacionamento entre ambos. Considerando tais meios, a interação prévia e posterior ao contato entre médicos e pacientes agrega e facilita esse canal de comunicação.

A informação compartilhada destaca-se cada vez mais como fator qualitativo e essencial para a oferta de serviços em saúde focados na qualidade de vida e experiência de pacientes. Para mais informações sobre como potencializar o relacionamento entre pacientes e profissionais de saúde, visite nosso site.

Conectividade para a vida

Mais posts do blog

ver todos