Como eliminar o software local para radiologia da sua clínica

interno_1098-9655 (1)

Muitos centros de diagnóstico ainda utilizam software local para gestão de exames, mas será que eles ainda são realmente necessários?

Para gestar exames de imagem, as clínicas, hospitais ou centros de diagnóstico precisam contratar um sistema que possibilite o armazenamento e visualização das imagens. Atualmente, existem dois modelos: o software local e o na nuvem.

São inúmeros fatores que interferem na escolha por um desses modelos. Preferência dos radiologistas, hábitos de pacientes, e orçamento a ser investido são alguns deles.

Como funciona um software local?
Para que um centro de diagnóstico implemente um software local para fazer a gestão de exames de imagem, primeiramente é necessário um investimento de contratação.

Uma vez instalado, a clínica precisa contratar pessoal de TI especializado para administrar esse sistema. Além disso, ainda tem de se certificar que dispõe de profissionais para cuidar da segurança do material.

Solução
O modelo em nuvem apresenta diversas vantagens. A primeira delas é a redução de custos. Esse tipo de serviço é contratado por assinatura, e por isso não requer investimento inicial para instalação.

Além de eliminar esse primeiro custo, a clínica ainda dispensa a contratação de novo pessoal. As soluções em nuvem já contam com corpo técnico qualificado para monitorar e dar suporte 24/7.

Outro ponto importante é a segurança no armazenamento. Todas as informações são criptografadas, monitoradas e dispõe de backup.
Por último mas não menos importante, graças ao cloud computing, o acesso é facilitado. Basta conexão com a internet, login e senha para visualizar as imagens a laudos. Dessa forma, também é possível ter controle de quem tem acesso ao material.

Novidades no seu e-mail

Fields marked with an * are required

Mais posts do blog

ver todos