5 dicas para radiologistas home office

Foto: carreirasolo.org

As ferramentas na nuvem estão transformando modelos de trabalho de inúmeras profissões. Na saúde, a telemedicina está revolucionando a entrega de cuidados para os pacientes e a forma de trabalho desses especialistas. Seguindo essa tendência, estão surgindo cada vez mais radiologistas home office.

As vantagens do trabalho remoto vão de eliminação de deslocamento, flexibilidade de horários, possibilidade de oferecer serviços à diversas clínicas e crescimento no faturamento.

Confira 5 dicas para aderir a esse modelo de trabalho na radiologia:

1 – Nuvem: acesso a qualquer hora, em qualquer lugar
Para o trabalho home office, o telerradiologista precisa de ferramentas que possibilitem o acesso remoto das imagens que precisa laudar. De nada adianta que o profissional elimine as horas de deslocamento até os locais de trabalho, se ele tem de buscar essas imagens em um CD ou pendrive e enviar cada laudo de forma manual.

Pensando nessa necessidade, foram criadas as soluções como a da Medcloud. Basta que o médico radiologista tenha um login e uma senha para que ele acesse o portal de onde estiver e visualize todas as imagens. Após laudados, os exames ficam a disposição para a centro de diagnóstico, médico solicitante ou paciente no mesmo portal.

Isso é possível através do armazenamento pela nuvem. De forma segura e organizada, todo material fica guardado em servidores em nuvem e pode ser acessado a qualquer momento via internet.

2 – Canais de suporte eficientes
No cotidiano de quem trabalha diretamente com ferramentas de tecnologia, é comum que surjam eventuais problemas. Por isso, o suporte ao usuário e integração com os equipamentos de imagem é fundamental.

Trabalhando com soluções como a da Medcloud, o radiologista tem suporte para qualquer contratempo ou dúvida com a plataforma. É importante que a ferramenta ofereça uma base de conhecimento e canais de atendimento 24/7, a fim de evitar qualquer problema de acesso aos estudos e consequentemente a impossibilidade de emissão do laudo.

Os canais de suporte precisam ser eficientes e ágeis a solução de problemas. Assim, o telerradiologista volta a trabalhar rapidamente e não tem sua produção comprometida.

3 – CFM: requisitos ténicos
O CFM determina algumas condições para que o radiologista trabalhe no modelo home office. Além das normas sobre segurança no compartilhamento dos dados médicos e sobre como deve ser feito o trabalho, a norma traz um anexo com regras operacionais e requisitos mínimos para a transmissão e manuseio dos exames e laudos radiológicos.

Os protocolos de comunicação, formato dos arquivos e algoritmos de compressão deverão estar de acordo com o padrão atual DICOM e HL7. Também é de responsabilidade do profissional garantir as características técnicas das estações remotas de trabalho, monitores e condições ergonômicas que não comprometam o diagnóstico.
Ou seja, as estações de trabalho e softwares utilizados para processamento de imagens devem possuir as seguintes características:
– Resolução espacial e de contraste e luminância adequadas às características diagnósticas da modalidade.

– Capacidade de reproduzir o estudo original, incluindo: controle interativo de brilho/contraste, capacidade de manipular rotação das imagens, acurácia em medidas de distância lineares e de unidades Hounsfield para tomografia e capacidade de mostrar dados clinicamente relevantes.

4 – Ferramenta de laudo integrada
A grande vantagem de ter o trabalho associado a soluções como da Medcloud é a junção de todas as funções do telerradiologista em um único local. No mesmo portal que o médico acessa para visualizar as imagens, ele também encontra uma ferramenta de laudos integrada.

Dessa forma, ele não precisa fazer cada laudo manualmente, partindo do zero. O portal fornece um molde de acordo com cada procedimento e o profissional apenas insere as informações que encontrou naquela imagem.

Além disso, uma ferramenta de áudio também pode ser utilizada para facilitar o trabalho do usuário. O software reconhece a voz através de um microfone acoplado. Então basta que o laudo seja proferido em voz alta para o que o sistema realize o processo restante.

5 – Modelo comercial e operacional flexível
Sem dúvida a principal vantagem do home office é escolher seu fluxo de trabalho. Isso dá margem para ter uma rotina de trabalho mais calma ou para aumentar a produtividade. Quando o médico radiologista trabalha para uma clínica, ele está sujeito ao fluxo de procedimentos daquela empresa.

O radiologista que trabalha à distância pode oferecer seus serviços a um número muito maior de centros de diagnóstico. Dessa forma, tem uma demanda muito maior de laudos. Além disso, o sistema permite que ele tenha acesso a ferramenta de trabalho no momento que achar melhor, flexibilizando os horários.

Novidades no seu e-mail

Fields marked with an * are required

Mais posts do blog

ver todos